sexta-feira, 13 de maio de 2011

Deísmo: A luz no horizonte





Por: Joseclei Nunes

Edição: Joner Garcia

  Vivemos em um mundo inundado pela ignorância e superstição. Ironicamente, a ignorância e superstição são institucionalizadas na "revelação" das religiões. Isso é irônico, porque as religiões são supostamente para nos ensinar sobre Deus, a fonte que dá a razão. Invés disso escondem a suposta verdade que podem nos levar diante a ele.

  Alguns dos ensinamentos e da superstição baseiam-se na ignorância. Tais como a superioridade judaica (Deuteronômio 07:06), a cura através da fé no evangelho, etc. Verdadeira causa dos problemas mortais. Por exemplo, A crença de que crer no evangelho pode curar os doentes causando a morte de inúmeras crianças todos os meses no mundo.

  Adicionar a realidades negativas de "revelação" segundo a religião causando danos ​​às crianças criadas no cristianismo e que são ensinadas desde que nascem são maus e pecadores para o ponto que o próprio Deus teve que sofrer horrivelmente e morrer na cruz por seus pecados imaginados e torna-se dolorosamente óbvio das religiões “reveladoras”.

  É claro que é hora de uma crença em Deus com base na razão dada por Deus. Crença em Deus baseada na razão é deísmo. Como um "revelado" religioso colocou, deísmo "radicalmente despojado Deus de sua identidade bíblica." O ponto que faltou é que Deus nunca teve uma identidade inata à bíblia, nem de uma identidade ao Torá e nem a identidade do Alcorão. Todas estas identidades diversas com homem são presas a livros religiosos sobre Deus devido apenas aos homens tentando se conectar com Deus o que eles ou outros homens têm escrito e acreditar. Deus não tem nada a ver com isso. Essa percepção produz a liberdade de espírito e liberdade de espírito, assim como a revolução na religião!

   Para que nós, como indivíduos e como sociedade para colher os benefícios do deísmo é preciso aproximar-se do deísmo. Como o Sol no horizonte, pois ficamos mais perto do Sol movendo-se mais a ele através de rotação da Terra, e não pelo Sol se aproximando de nós. Da mesma forma, nos aproximamos do deísmo através de nossos atos de aprender mais sobre Deísmo e promover Deísmo, o melhor de nossa capacidade.

   O simples e o natural do deísmo sempre estiveram aqui o tempo todo. E vai ficar aqui por muito tempo depois de todas as várias religiões “reveladas” desaparecerem. Como Thomas Paine escreveu em A Idade da Razão "A única religião que não foi inventada, e que tem em si todos os elementos de originalidade divino, é o Deísmo. Deve ter sido o primeiro, e provavelmente será a última"

   É claro que Paine não quis dizer "prova de originalidade divina" deísmo é devido a Deus, verbalmente ou por escrito, dizendo um deísta de muito tempo atrás em que acreditar e como agir, como o "revelado", religiões afirmam falsamente Deus intervindo diretamente sobre as suas próprias origens. Ele quis dizer que, devido à dependência de 100% do deísmo onde Deus nos deu a razão aplicada às leis do universo e Natureza, o criador de projetos, o deísmo é completamente dependente de Deus e está livre de homem superstições e imposições. Porque Deus nos deu a razão e não a religião, a humanidade foi capaz de detectar a Deus através da razão, isto é deísmo. Todas as religiões “reveladas” ensinam muitas coisas que vão fortemente contra o Deus que deu a nós a razão. Compare isso com o deísmo, que é completamente dependente de Deus-razão e dada à natureza. Esta qualidade do deísmo é o que ganha sobre muitas pessoas sinceras do campo "revelado" das religiões. Obriga as pessoas sinceras a questionar por que eles estão agarrados aos ensinamentos que violem o seu dom da razão.

   De acordo com o levantamento em 2000existem mais de 12 milhões de pessoas no Brasil, que não tem religião. Eu tenho certeza que existem muitas outras ao redor do mundo que também têm sem religião. Infelizmente, eles nunca ouviram falar do deísmo e acreditar, como muitos de nós acreditávamos antes de aprender sobre o deísmo, que eles estão sozinhos em suas crenças. Alcançar essas pessoas é o principal objetivo da União Brasileira dos deístas. Quando chegamos até um quarto dessas pessoas, deísmo será impagável! Então, estaremos na luz no horizonte e tudo de bom natural do progresso que ela contém vai estourar que vão anos-luz de fazer do mundo um lugar melhor, muito mais!

Deus me dê razão, não a religião.

5 comentários em “Deísmo: A luz no horizonte”

  • 14 de maio de 2011 13:04
    Rafaella Disse:

    Muito bom o texto, mas devo ressaltar que há vários pontos duvidosos nele. Minha sugestão seria do escritor rever seus conhecimentos gramaticais, fora isso, toca em pontos importantes como dados de pessoas que não tem religião e desconhecem o Deísmo. Creio que se propagarmos o Deísmo não como uma religião, mas sim, como uma denominação confortável para aqueles que não acreditam em religião, mas mesmo assim acreditam em Deus, estaremos finalmente caminhando para uma sociedade mais compreensiva e calma diante do entendimento do mundo.

    delete
  • 15 de janeiro de 2012 23:15

    Deísmo não é religião, nunca foi e nem pretende ser. Um deísta é simplesmente um pensador livre, ele crer em Deus pelo uso da razão e não tem fé nas religiões que querem definir as atitudes de Deus, dizendo que Ele prefere isso ou aquilo. Eu sou um deísta, graças a Deus.

    delete
  • 21 de junho de 2012 14:43
    Andrade Disse:

    Ser deísta é se afastar de qualquer congregação ou denominação que propaga suas "verdades" referenciadas ou não por livros ditos divinos.

    delete
  • 24 de junho de 2012 13:21
    Anônimo Disse:

    Fui criado ouvindo a a doentia Renovação Carismática Católica que só me botou minhocas na cabeça. Espero que o deísmo me liberte.

    delete
  • 8 de abril de 2013 18:21

    Devemos tomar cuidado, todo movimento universal, inclusive os religiosos e filosóficos tendem a distorção dos elementos. Quero dizer que independentemente do deísmo, o deísmo por si só não condiz, há considerações fundamentais no aspecto deista, principalmente o cultural, geográfico e humano, prova do que digo é a essência fundamentalista do deísmo; suas origens inglesas e francesas, tanto que sempre digo e ratifico, deismo é uma filosofia particular; pessoal.

    O deismo é uma filosofia pouco conhecida, divulgada e compreendida, muitas vezes mal interpretada.

    “Qual a sua religião?” Já ouvimos essa pergunta inúmeras vezes, sempre respondo que acredito em Deus, mas a pergunta se repete, a pessoa não se sente satisfeita com apenas minha crença na divindade, ela quer saber qual a minha religião, então respondo que sou deísta. Desta forma, respondendo primeiramente que acredito em Deus, desperto a curiosidade da pessoa por meio da minha segunda resposta, evidentemente vem a segunda pergunta, que nós também já ouvimos uma centena de vezes; “O que é deísta?” Após uma breve explicação muitas das pessoas acham interessante a filosofia deista.

    Quero num futuro breve que o deísmo seja organizado, mas não uma organização. Quero continuar deísta; livre de pensamento, pronto ao aprendizado, sempre disposto ao amadurecimento das idéias, novas concepções; convicções. O deísmo é uma filosofia livre porque essa filosofia me pertence.

    delete

Postar um comentário

 

[U.B.D] União Brasileira dos Deístas Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger