sexta-feira, 26 de junho de 2015

A Pecadora Queimada (Clarice Lispector)


A peça A Pecadora Queimada, foi única incursão de Clarice Lispector no teatro. 
Em ritmo bíblico e com uma linguagem única em sua obra, a peça fala de uma mulher condenada à morte. Seu pecado era banal:
'POVO: Pois então escondia do esposo o seu amante, e do amante escondia o esposo? Eis o pecado do pecado.
AMANTE: Mas eu não rio e por um momento não sofro. Abro os olhos até agora fechados pela jactância, e vos pergunto: quem? Quem é esta estrangeira, quem é esta solitária a quem não bastou um coração?'
A peça termina quando a 'mulher estrangeira' é queimada até à morte. Depois que ela morre os vários personagens comentam.
SACERDOTE: A beleza de uma noite sem paixão. Que abundância, que consolação. 'Ele faz grandes e incompreensíveis obras'.
1º E 2º GUARDAS: Exatamente como na guerra, queimando o mal, não é o bem que fica...
OS ANJOS NASCIDOS: ... nós nascemos.
POVO: Não compreendemos e não compreendemos.
ESPOSO: Regressarei agora à casa da morta. Pois lá está minha antiga esposa, a esperar-me nos seus colares vazios.
SACERDOTE: O silêncio de uma noite sem pecado. Que claridade, que harmonia.
CRIANÇA COM SONO: Mãe, que foi que aconteceu?
OS ANJOS NASCIDOS: Mamãe, que foi que aconteceu?
MULHERES DO POVO: Meus filhos, foi assim: etc. etc. e etc.
PERSONAGEM DO POVO: Perdoai-os, eles acreditam na fatalidade e por isso são fatais.'
(...) A 'mulher estrangeira', condenada às chamas, não diz uma palavra." ...

0 comentários em “A Pecadora Queimada (Clarice Lispector)”

Postar um comentário

 

[U.B.D] União Brasileira dos Deístas Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger