quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Vivendo sem fé num país cada vez mais evangélico


Texto: Joseclei Nunes (Razão e Cultura)

Até pouco tempo atrás em meu facebook, postei uma imagem dizendo que sou feliz sem Deus. Esses tipos comentários, como essa imagem, fez eu perder alguns amigos pessoais. Mas será que num país democrático como o Brasil, não se pode viver sem Deus?

Segundo as pesquisas, o Brasil em 2020, será basicamente a maior religião do país, mas será que isso é bom ou ruim?

O mundo hoje passa por certas tuburlências, onde estão assuntos polêmicos como aborto, homossexualismo, eutanásia e legalização das drogas. Tirando o homossexualismo, os outros temas acabam sendo questão de saúde pública e de violência, mas na visão deles não é de Deus e nada pode ser permitido.

Com isso e com o crescimento de uma bancada, onde foram titulados com o nome evangélicos, eles criam leis em defesa de sua fé e vetam as que são contrarias, mesmo que o Brasil seja laico, muitos lideres acabam pensando antes no eleitorado evangélico, antes de criar ou fazer algo, os que se opõe a eles, acabem sendo hostilizados, enfim demonizados.

Então a cada dia, fica difícil viver sem fé no meio de tanto deles, pois o país em toda sua história, sempre teve certa liberdade religiosa, mas isso vem mudando, pois cidades como São Gonçalo, templos de origens do candomblé e umbanda estão sendo fechados porque o prefeito seria evangélico, bibliotecas são punidas por não terem um exemplar da bíblia e alunos e professores são discrimados em suas escolas por suas crenças.

A ultima agora, foi intitulada como "PEC da teocracia" do deputado e então pastor e tucano João Campos, dando as instituições religiosas o poder de decidir se as leis são constitucionais ou não. Imagina isso sendo aprovado aqui no país?

Um exemplo são os países islâmicos, onde são punidos aqueles que são homossexuais, adúlteros e tudo da base do livro sagrado deles que é o Alcorão. Aqui no Brasil, o movimento pentecostal parece querer fazer a mesma coisa, mais usando a bíblia como sua fonte e encontrando sempre brechas da constituição para vetar leis como o casamento igualitário.

Mas mudando o foco de leis, temos as pessoas comuns, que muitos, acabam se tornando gados desses lideres, onde participam de manifestações que inclui ataques a políticos que defende a causa GLBT e a legalização da maconha. Essas pessoas comuns em dia descriminam aqueles que acreditam em vários deuses ou até mesmo em nenhum e isso parece só tem de aumentar.

Um dia desses também estava lendo na fila do banco o livro do José Saramago – Caim, uma senhora olhou o titulo e na hora tirou um daqueles papelzinho para me entregar, mas será que eles respeitam nossa liberdade? Como outra vez um jovem veio me abortar falando que preciso de Jesus, eu falei que não preciso, então ele começou a rogar pragas, falando que um dia eu ia cair de joelhos pedindo perdão a Deus. Imagina isso quando eles forem a maioria segundo o IBGE.

Além disso, perdir amigos pessoais por não querer opinar da mesma crença que eles e como um pesquisador e gostar de ler desses temas (mesmo sabendo pouco), gosto de expor as minhas opiniões e isso acabar gerando um mal estar entre eu e essas tais amizades, como uma vez que veio até meu Orkut querendo me dar sermão, como não sou de aceitar desaforos, respondi e depois lá se foi mais uma grande amizade.

Mas Jesus dizia: amai-vos uns aos outros e não é basicamente isso que encontramos no seu dia a dia. Pois em todo Brasil, se encontra propagandas em sites, camisas, outdoors onde se você não seguir a mesma fé que eles, você esta endemoniado, te mandam para o inferno, fazem de tudo para que você seja o pior, só pelo simples fato de não ser evangélico.

A cada dia eu me preocupo, quando sofro uma agressão verbal, quando assisto pela TV alguém sendo discriminado só por ser espírita, ateu, da religião-afro e entre outras. O movimento evangélico deixou de ser a tal religião do amor e passou a ser a religião do ódio, da ganância, do poder, da ignorância, onde a todo custo vão querer te converter para num futuro fazer do Brasil uma teocracia e depois fazer o país de volta a idade média implantar de vez, uma inquisição protestante.

Mas será que é disso que precisamos? Hoje podemos mostrar que pode ser digno sem fé, sem Deus e as pessoas que supostamente eram para acreditar em Deus, de base não é assim.

Muitos hoje tentam “sair do armário” falando que é ateu, que é umbandista, mas ainda sofre repressão. As pessoas ainda olham diferente em ambientes de trabalho, de escola. As Igrejas a cada dia impõem suas doutrinas, suas regras. Usam a bíblia, às vezes de forma incorreta para pregar o tal evangelho de Jesus. Muitos também acabam se afastando da religião e acabam sendo pré-julgados como possuído pelo demônio, como ímpio, afastado, mesmo que saia de forma sensata e sábia.

Esse pode ser o nosso futuro, a cada pesquisa, cresce o numero de evangélicos pentecostais e as polemicas tendem a crescer também, agora só basta saber como vamos viver sem fé num país cada vez mais evangélico. Pense nisso...


terça-feira, 8 de novembro de 2011

O fabuloso n.º 1,618 de Fibonacci





Todos nós já ouvimos falar do número Pi: 3,1416... (letra Grega π ou Π que se pronuncia "pi"). É o irracional mais famoso da História, com o qual se representa a razão constante entre o perímetro de qualquer circunferência e o seu diâmetro. Não se deve confundir com o número Phi.


O número Phi (letra Grega φ ou Φ que se pronuncia "fi"), apesar de não ser tão conhecido, tem um significado muito mais interessante.

Durante anos, o homem procurou a beleza perfeita, a proporção ideal. Os Gregos criaram então o rectângulo de ouro. Era um rectângulo no qual havia proporções... o lado maior dividido pelo lado menor e a partir dessa proporção tudo era construído. Assim, os Gregos fizeram o Pathernon... a proporção do rectângulo que forma a face central e a lateral. A profundidade dividida pelo comprimento ou altura, tudo seguia uma proporção ideal de 1,618.

Os Egípcios fizeram o mesmo com as Pirâmides: cada pedra era 1,618 menor do que a pedra de baixo, a de baixo era 1,618 maior que a de cima, que era 1,618 maior que a da 3.ª fileira e assim por diante.

Durante milénios, a arquitectura clássica Grega prevaleceu. O rectângulo de ouro era padrão mas, depois de algum tempo, veio a construção gótica, com formas arredondadas que não utilizavam o rectângulo de ouro Grego.

Mas, em 1202..., Leonardo Pisano ou Leonardo de Pisa (1170 — 1250) - também conhecido como Fibonacci, publicou Liber Abaci. Fibonacci era um matemático que estudava o crescimento das populações de coelhos, criou aquela que é provavelmente a mais famosa sequência matemática: a Série de Fibonacci.

A partir de 2 coelhos, Fibonacci foi contando como eles se aumentavam a partir da reprodução de várias gerações e chegou a uma sequência onde um número é igual à soma dos dois números anteriores:

0, 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, 233,...

0+1=1
1+1=2
2+1=3
3+2=5
5+3=8
8+5=13
13+8=21
21+13=34
...
E assim por diante.

Aí entra a 1.ª "coincidência": a proporção de crescimento média da série é... 1,618. Os números variam, um pouco acima, às vezes um pouco abaixo, mas a média é 1,618, exactamente a proporção das pirâmides do Egipto e do rectângulo de ouro dos gregos.

Então, essa descoberta de Fibonacci gerou uma nova ideia da tal proporção que os cientistas começaram a estudar a natureza em termos matemáticos e logo encontraram e descobriram coisas fantásticas.

- A proporção de abelhas (fêmeas) em comparação com os zângãos (machos) duma colmeia é de 1,618;

- A proporção em que aumenta o tamanho das espirais de um caracol é de 1,618;

- A proporção em que aumenta o diâmetro das espirais das sementes de um girassol é de 1,618;

- A proporção em que diminuem as folhas de uma árvore à medida em que subimos em altura é de 1,618;

- E não só na Terra se encontra tal proporção. Nas galáxias, as estrelas distribuem-se em torno de um astro principal numa espiral obedecendo à proporção de 1,618... também.

Por isso, o número Phi ficou conhecido como A DIVINA PROPORÇÃO.

Alguns historiadores descrevem que foi a beleza perfeita que Deus teria escolhido para fazer o Universo.

Por volta de 1500, com a vinda do Renascimento, a cultura clássica voltou a estar na moda... MichelanGelo e, principalmente, Leonardo da Vinci, colocaram esta proporção natural nas suas obras. Mas, da Vinci foi ainda mais longe; ele, como cientista, dissecava cadáveres para medir a proporção do corpo e descobriu que nenhuma outra coisa obedece tanto à DIVINA PROPORÇÃO do que o corpo humano... obra prima de Deus.

Por exemplo:

- Meça a sua altura e depois divida pela altura do seu umbigo até ao chão; o resultado é 1,618;

- Meça o seu braço inteiro e depois divida pelo tamanho do seu cotovelo até ao dedo; o resultado é 1,618;

- Meça os seus dedos, inteiros, dividindo pela dobra central até à ponta ou da dobra central até à ponta dividido pela segunda dobra; o resultado é 1,618;

- Meça a sua perna inteira e divida pelo tamanho do seu joelho até ao chão; o resultado é 1,618;

- A altura do seu crânio dividido pelo tamanho da sua mandíbula até o alto da cabeça; o resultado 1,618;

- Da sua cintura até à cabeça e depois só ao tórax; o resultado é 1,618.

(Considere os erros de medida da régua ou da fita métrica que não são objectos acurados de medição.)

Tudo, cada osso do corpo humano é regido pela Divina Proporção.

Teria Deus usado o seu conceito maior de beleza na sua maior criação feita à sua imagem e semelhança?

Coelhos, abelhas, caracóis, constelações, girassóis, árvores, artes e o Homem; coisas teoricamente diferentes, todas ligadas numa proporção em comum.

Então, até hoje essa é considerada a mais perfeita das proporções. Meça o seu cartão de crédito, largura por comprimento, o seu livro, o seu jornal, uma foto revelada.

(Lembre-se: considere os erros de medida da régua ou da fita métrica que não são objectos acurados de medição.)

Encontramos ainda o número Phi em famosas sinfonias, como a 9.ª de Bethoven e em outras diversas obras.

Então, isto tudo será uma coincidência?...ou será o conceito de Unidade com todas as coisas sendo cada vez mais esclarecido para nós?

------------------------------------------

in Wikipédia, a enciclopédia livre:

A proporção áurea ou número de ouro ou número áureo é uma constante real algébrica irracional denotada pela letra grega (phi) e com o valor arredondado a três casas decimais de 1,618. É um número que há muito tempo é empregado na arte. Também é chamada de: razão áurea, razão de ouro, divina proporção, proporção em extrema razão, divisão de extrema razão.

Phi, tem este nome em homenagem ao arquiteto grego Phidias, construtor do Parthenon.


Fonte: gblogvs.blogspot.com

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Antony Flew: o ateu que mudou de idéia





Adaptado por: @RaphaelBH_

Texto: William Crawley
Fiquei triste ao saber da morte, com a idade de 87, do filósofo Antony Flew , que foi um dos contribuintes mais significativos do século 20 para o debate filosófico sobre a crença em Deus. Flew foi extremamente produtivo como um estudioso. Ele escreveu muitos livros outras vezes ensaios, ele publicou artigos tão freqüentes como outros que escrevem comentários. Eu o vi palestrar algumas vezes no final dos anos 90 e foi um dos oradores mais envolventes e animador que eu já ouvi. Ele gostava de fazer a batalha sobre as idéias, a sua formação como filósofo analítico afiado e suas habilidades naturais como um pensador o ajudavam. E ele era amplamente visto como o herdeiro filosófico de Bertrand Russell e um líder ateu público. Ele participou de Debates com CS Lewis em Oxford Clube, e ficou impressionado com Lewis como um pensador, mas não persuadido por sua apologética. Seus livros God and Philosophy (1966) e A presunção do ateísmo (1976) Fez seguidores novos do ateísmo, e deixou exposto que o ateísmo deve ser a posição padrão da pessoa inteligente até que uma prova estabelecida surja ao contrário.


Nos últimos anos, a fama de Flew foi globalizada pela notícia de que ele havia mudado de idéia sobre a crença em Deus. Havia notícias atraentes, sugerindo que um dos maiores líderes do ateísmo mundial havia se tornado um cristão, e contra-alegações de um rapto filosófico de um velho com a diminuição das capacidades intelectuais pelos apologistas cristãos. Em algumas entrevistas, e em publicações posteriores, Flew deixou claro que ele não tinha se tornado um cristão, ele havia se mudado do ateísmo a uma forma de deísmo. Isso é importante: é um erro afirmar que Flew abraçou o teísmo clássico em qualquer forma substancial, mas sim, ele veio a acreditar que apenas um ordenador inteligente do universo existiu. Ele não acredita que este "ser" tinha qualquer agência ainda no universo, e ele manteve sua oposição à grande maioria das posições doutrinárias adotadas pela fé global, tais como a crença na vida após a morte, ou um ser divino que ativamente cuida ou ama o universo, ou a ressurreição de Cristo, e defendeu a idéia de um " aristotélico Deus ". Ele explicou que, como Sócrates, ele simplesmente seguiu a evidência, e as novas evidências da ciência e da teologia natural tornou possível avançar de forma racional na crença em um ser inteligente que ordenou o universo. Em 2006, ele ainda acrescentou seu nome a uma petição pedindo a inclusão da teoria do design inteligente no currículo de ciências do Reino Unido.

Em uma reedição recente de God and Philosophy, Flew adicionou uma nova introdução na qual ele descreveu o livro como "uma relíquia histórica" ​​e estabeleceu uma série de considerações que, ocupou, e minou a força que o livro teve uma vez. Estes incluíram novas versões do argumento do desígnio, a ascensão do argumento antrópico, alguns argumentos oferecidos pelo movimento do design inteligente, Richard Swinburne "trabalhos sobre o conceito de Deus, e David Conway 's de trabalho sobre o conceito de sabedoria.

Consideráveis debates continuavam a assombrar a publicação em 2007 do livro de Flew Há um Deus: Como ateu mais famoso do mundo mudou de idéia. Este foi co-escrito por Roy Abraham Varghese , mas muitos críticos afirmam que Varghese foi o autor principal. Flew declarou que Varghese foi tecnicamente o autor no sentido de que ele construiu o livro e compôs as suas secções, mas ele segurou a fim de que o livro adequadamente resumiu sua própria conversão do ateísmo para o deísmo. Que a conta de "conversão" de Flew contém essa descrição:

"Agora acredito que o universo foi trazido à existência por uma Inteligência infinita. Eu acredito que as leis intrincadas deste universo devem manifestar o que os cientistas chamariam de a Mente de Deus. Eu acredito que a vida e a reprodução são originárias de uma fonte Inteligente... Por que eu acredito, dado que já expus a defesa do ateísmo por mais de meio século A resposta curta é esta: esta é a visão do mundo, a meu ver, que emergiu da ciência moderna. Há Três dimensões da natureza que apontam deus. O primeiro é o fato de que a natureza obedece a leis. A segunda é a dimensão da vida, de seres inteligentes organizados e com propósitos, que surgiu a partir da matéria. O terceiro é a própria existência da natureza. Mas não é só a ciência que me guiou. Eu também tenho sido ajudado por um estudo renovado dos argumentos filosóficos clássicos... Devo salientar que a minha descoberta tem procedido a um nível puramente natural, sem qualquer referência a fenômenos sobrenaturais. Tem sido um exercício no que é tradicionalmente chamado de teologia natural. Em suma, a minha descoberta de ‘’Deus’’ tem sido uma peregrinação da razão e não da fé. "

No entanto, é razoável a pagar mais atenção a determinadas provas, eu acho que Flew se convenceu que a evidência foi um dos principais opositores de uma posição para mudar sua mente. Prestando atenção, não quero dizer que a prova deve ser simplesmente aceita como crédito em causa; apenas, que uma pessoa racional preocupada com provas deve dar-lhe alguma consideração.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

O Que Aconteceu Antes Do Big Bang? BBC



Postado: @RaphaelBH_





Sinopse :

A teoria que melhor se sustentou nos últimos 50 anos para explicar nosso universo é a Teoria do Big Bang. Há um documentário muito bom com legendas no site, “BBC Lost Horizons – The Big Bang” sobre o que ela diz, e seu histórico. Essa teoria, entre outras implicações, incorre em que tudo veio do nada, e sobre esse outro paradigma há também um excelente documentário no site: “Everything And Nothing”. Mas existem falhas, questões ainda não respondidas, e algumas das mais brilhantes mentes científicas atuais afirmam que o Big Bang sequer ocorreu. Novas teorias são discutidas neste documentário em que são apresentadas alternativas a esse modelo e porque elas seriam mais satisfatórias.

Informações Técnicas :

Título no Brasil: O Que Aconteceu Antes Do Big Bang?
Título Original: What Happened Before The Big Bang?
País de Origem: EUA
Gênero: Documentário
Tempo de Duração: 60 minutos
Ano de Lançamento: 2010
Direção: BBC

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Charles Darwin não era ateu e não era contra o Criacionismo




Postado por: @RaphaelBH_

Este texto de Olavo de Carvalho (Critica a beatificação de Charles Darwin por parte do novo clero cientifico) é interessante porque, em primeiro lugar, desmistifica a ideia de que Darwin foi original na sua teoria, e em segundo lugar porque revela o facto ― que hoje é meticulosamente ocultado ― de que Darwin admitia o criacionismo como causa prima e em conjugação com o evolucionismo. Darwin distinguia claramente a “criação” da “evolução”.

Por outro lado, é preciso referir que Darwin não se assumia como ateu; ele escreveu uma carta a um amigo em 1879 (ver o livro “A Vida e a Correspondência de Charles Darwin”, 1887, publicado do seu filho Francis Darwin):


«Sejam quais forem as minhas convicções sobre este tema [religião], elas só pode ter importância para mim próprio. Mas, já que mo perguntas, posso assegurar-te que o meu juízo sofre, amiúde, flutuações…Nas minhas maiores oscilações, nunca cheguei ao ateísmo no verdadeiro sentido da palavra, isto é, nunca cheguei a negar a existência de Deus.»

Portanto, quem diz que Darwin era ateu, mente. Quem diz que Darwin baseou a evolução das espécies numa causa prima não-criacionista, mente.

O evolucionismo de Darwin circunscrevia-se à Biologia que tenta explicar a evolução dos organismos terrestres, e não à Física ― ou à Filosofia ― que tenta explicar a origem das leis do universo; Charles Darwin fez muito bem essa distinção entre Biologia e Física, coisa que os biólogos actuais, regra geral, não fazem quando transformam o evolucionismo numa doutrina universal ― o evolucionismo é uma generalização da doutrina biológica da transformação da espécie.

Como escreve Olavo de Carvalho, Charles Darwin não foi sequer original na sua teoria: para além do tio de Darwin, o naturalista Erasmus Darwin (referido no texto como sendo “avô”), podemos contar também os nomes de Buffon (1707-1788), o próprio Kant que constatou na sua “Crítica do Juízo” a probabilidade da evolução contínua da nebulosa primitiva até ao Homem, e essencialmente Lamarck (1744 – 1829), para além de Charles Lyell (1797-1875).
Portanto: 1) Darwin foi tudo menos original. 2) Darwin não era ateu, não foi contra o criacionismo, nem era anti-religião.

Nota: quando se fala aqui em “criacionismo”, não me refiro ao criacionismo bíblico entendido de uma forma literal porque sabemos de que se trata de um conjunto de metáforas, mas antes ao chamado “Desenho Inteligente” defendido por muitos cientistas, entre eles o bioquímico e professor universitário, Michael Behe.

Fonte: espectivas.wordpress.com

Como o Universo se formou?

"A opinião pessoal deste artigo não reflete a opinião de todos os integrantes deste blog e outros colaboradores da União Brasileira dos Deístas".





Adaptado por: @RaphaelBH_

Os cientistas fizeram uma importante descoberta em anos recentes. Esta descoberta importante foi que, antes de o Universo ser formado, não havia nada mais. Não havia terra, ar, água e não havia estrelas; nem mesmo o espaço.

Dentro deste imenso vazio, havia um pequeno ponto, tão pequeno que era difícil enxergá-lo. Muitas partículas estavam comprimidas dentro deste ponto. Então em dado momento este ponto explodiu. Quando explodiu, todas as partículas que estavam comprimidas dentro, voaram. Depois disto porções de partículas se juntaram e formaram primeiro os átomos, depois, destes átomos formaram-se as estrelas, o nosso Sol, a Terra e os outros planetas. Os cientistas chamam esta explosão de "Big Bang".

Aqui você precisa pensar numa coisa muito importante. Vamos imaginar que você ponha peças de um quebra-cabeça, ao acaso, dentro de um balão. Depois você enche o balão com ar e de repente você o estoura. Isto quer dizer que o balão "big bangueou" ...

O que acontece com as peças do quebra-cabeça que você colocou dentro do balão? Estas peças podem cair no meio da sua sala formando uma vila bonita, um aeroporto, alguma coisa que você nem saiba manejar? Ou as peças se espalhariam a esmo por toda a sala? Com certeza elas se espalhariam a esmo por toda a sala. Você precisaria juntar as peças para então formar um aeroporto ou uma casa.

Você sabe o que é o Universo? É um espaço sem fim com todas as coisas que ele contém - a Terra, o Sol, a Lua, os planetas e as estrelas. Mesmo que você ande milhões de quilômetros, não encontrará o fim. Na verdade você só estará encontrando o começo do espaço, porque o espaço é imensamente grande para ser descrito.

A Terra está neste espaço sem limites. Junto com a Terra, estão o Sol, a Lua e as milhares de estrelas que existem no espaço. Então, como todas estas coisas foram formadas? Como surgiu o Sol? Ou, como a nossa Terra surgiu?

Há dois tipos de respostas para estas pergunta.
A primeira é que o Universo sempre existiu, e surgiu por si mesmo. Isto é, muitas substâncias se juntaram por si mesmas, por acaso, para formar o Sol, as estrelas, a Terra, os mares, árvores, rios e montanhas.

Você não acha que este pensamento não tem lógica? Se um amigo seu lhe disser algo assim: "Eu coloquei um pouco de terra, umas pedras e um pouquinho de água numa caixa grande, esperei alguns anos, e então surgiu um computador de dentro desta caixa", você acreditaria nele? Provavelmente você pensaria que o seu amigo está brincando, mentindo ou ficando maluco.


Os evolucionistas contam abertamente uma estória inacreditável como esta. Um computador não pode formar-se por si mesmo como resultado de alguma coincidência. Primeiro, alguém planeja como deve ser um computador e decide quais componentes deverão ser usados. Então, em grandes indústrias, engenheiros, técnicos e centenas de trabalhadores se reúnem e usam imensas máquinas para fabricar o computador. Isto mostra que quando você vê um computador você sabe que ele não surgiu por si mesmo. Não é óbvio que pessoas inteligentes fizeram o computador? O Sol, a Terra e outros planetas são muito maiores que um computador. Então, se há pessoas que fizeram os computadores, tem de haver um poder maior que criou o Universo.

Fonte: harunyahya.com
 

[U.B.D] União Brasileira dos Deístas Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger